Tags

, , , , ,

Em uma iniciativa voluntária de apoio, resgate e valorização da Cultura Cametaense, membros da sociedade civil  organizam-se para mobilizar a população a participar de atividades de cultura, lazer e geração de renda através da manifestação artística. O projeto é de iniciativa do Grupo de Discussão “CAMETÁ – PA: cultura, pessoas e polêmicas!” e conta com apoio da UFPA – Campus Cametá-PA e Blog Só na Mutuca. Busca também fomentar a participação cidadã e divulgar a rica cultura cametaense.

Cametá e Cultura

Além das festividades religiosas ao longo de todo o ano, o município de Cametá é rico em manifestações artísticas e culturais populares, organizados em grupos típicos com suas músicas, dança e indumentárias que fazem referência as tradições e valores culturais da região tocantina, como exemplo os Grupos de Samba-de-Cacete, sendo uma das mais curiosas manifestações da cultura local. 

Cita-se também O Boi-Bumbá, que tem nos bois Mina de Ouro, Pingo de Ouro, Labioso e Raivoso seus maiores vultos no Município. Além  do Bambaê do Rosário, manifestação de origem afro-brasileira, de cunho religioso, realizada na Vila de Joaba, tradição esta que existe há mais de 100 anos.

Outro representante da cultura cametaense trata-se do Marierrê, folguedo da Vila de Carapajó que reveste-se de características e referências afros trazido por negros escravos que trabalhavam em engenhos da região.

 Outro destaque é pela presença do bloco carnavalesco “A Bicharada“, com indumentária confeccionada artesanalmente e caracterizando animais da fauna da região Amazônica – completam o quadro das manifestações populares de Cametá.

Além do título de “terras de notáveis“, por sua extensa lista de personagens ilustres,  Cametá possui, entre os Municípios paraenses, a maior quantidade de monumentos históricos e culturais, com destaques para  a Catedral de São João Batista, na Praça dos Notáveis, construída, em 1757, possivelmente pelo primeiro pároco da Ordem de Cametá.

Há, ainda, a Catedral de Nossa Senhora das Mercês, na praça Joaquim Siqueira (popularmente conhecida como “Praça das Mercês”), “construída em agradecimento a uma graça alcançada pela família de Daniel Valente, no século XIX; a Capela de Bom Jesus dos Aflitos, na Rua 24 de Outubro, construída em 1825; a igreja de Parijós (antiga aldeia dos índios Parijó) que, sob o ponto de vista arquitetônico, é a mais bonita igreja do Município; o Seminário Religioso, na aldeia de Parijós; a igreja de São Benedito, construída em 1872; o Grupo Escolar D. Romualdo de Seixas, instalado na cidade a 12 de outubro de 1899, no governo estadual do Dr. José Paes de Carvalho, mas somente concluído e inaugurado em 1905, no então, governo estadual de Augusto Montenegro; colégio Nossa Senhora Auxiliadora, instalado na cidade pelas irmãs de Caridade da Ordem Religiosa de São Vicente de Paula, em 15 de fevereiro de 1942; antiga Casa de Câmara e Cadeia que atualmente, funciona como sede da Prefeitura” (Fonte: Portal Amazônia).

Destaca-se também o prédio da antiga SUCAM, com edificações eclética tipo “bangalô”, construído, no início do século, pelo capitão Henrique de Mendonça (atualmente sede da Secretaria Municipal de Saúde); antiga usina elétrica inaugurada em 1927, residência de Maria Cordeiro de Castro, edificação térrea de estilo colonial; Palacete Azul cuja data de construção é desconhecida, sendo que sua inauguração foi a 27 de julho de 1927; residência dos Moreira, edificação assombrada construída no século XIX; residência Belfort Lisboa, uma das primeiras construídas, com esmero e bom gosto em Cametá, segundo os padrões europeus; casa dos Foinquinos, construída no século XIX, mantendo, até hoje, seus traços originais; conjunto de casas à Rua Rui Barbosa, com edificação em estilo meia morada; residência dos Peres, construída por volta de 1870, composta por duas residências iguais e geminadas (unidas), localizada na Praça dos Notáveis; Pensão da Liberata, construída por volta de 1920, cuja fachada tem traços de composição clássica; casa do Sr. Castro, prédio construído no século XIX, aproximadamente na década de setenta, mas, que sofreu consideráveis modificações nas linhas originais. No que se refere aos equipamentos culturais, o Município de Cametá dispõe de um Museu Histórico, onde também funciona a Biblioteca Pública, com um importante acervo da antiga história da cidade, além de uma Casa da Cultura e um cinema denominado “Cine Príncipe”.

PROJETO ACORDE CULTURA CAMETAENSE está previsto para ocorrer TODAS AS SEXTAS NA PRAÇA DAS MERCÊS APARTIR DE 27/04/2012. A PARTIR DA 18H.

Participem! Apoiem!

Anúncios